Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Queirosiana

Blogue sobre livros, leituras, escritores e opiniões

Chamavam-lhe Grace, Margaret Atwood

08.08.19

Um romance primoroso. Segue um estilo de escrita arrebatador e vibrante sem nunca nos enfastiar. Publicado originalmente em 1996, Alias Grace (no seu título original), transporta o leitor para o Canadá do séc. XIX, baseando o seu enredo em factos reais. 

Em 1843, a verdadeira Grace Marks e o verdadeiro James McDermott eram condenados à morte pelo assassinato de Thomas Kinnear e da sua governanta Nancy Montgomery. McDermott acabou condenado a morte por enforcamento e Grace, condenada a prisão perpétua, pois conseguiu ver a sua pena atenuada.

Este é o ponto de partida do romance de Atwood. A partir daqui, a autora constrói uma empolgante história, através dos encontros entre Grace Marks e Simon Jordan, um médico psiquiatra contratado para conduzir uma investigação científica que possa vir a sustentar mais uma petição para libertar Grace e Marks. 

Em cada consulta vamos sabendo mais um pouco sobre a história de Grace Marks, contada por ela própria e desvelada aos poucos, qual Xerazade. Desde a sua vinda da Irlanda para o Canadá, uma viagem cuja descrição me fez recordar os barcos negreiros do livro de História; depois o seu establecimento no Canadá, já órfã de mãe; o seu primeiro trabalho como criada e os que se seguiram; a amizade com Mary Whitney; os bizarros acontecimentos em torno da morte de Mary; a sua mudança para a casa de Mr Kinnear e as relações aí travadas; as suas tarefas do quotidiano como criada; o seu dia-a-dia na prisão; e finalmente a descrição do fatal dia que mudaria a sua vida para sempre.

Ao longo destas consultas, Jordan vai criando uma espécie de admiração pela paciente e a razão e a emoção vão-se confundindo pelo caminho. O próprio leitor não consegue deslindar a culpa ou inocência desta bela mulher. Não obtendo os resultados esperados, Jordan acaba por ceder a que Grace seja sujeita a uma sessão de hipnotismo que rapidamente se transforma numa espécie de séance  espírita. 

Neste romance, encontramos elementos que nos cativam e prendem a todo o enredo, a crueza da descrição da realidade da vida de Grace, o crime, o sobrenatural e a dúvida. 

Quando virem este livro na livraria, não hesitem emtrazê-lo convosco!

De notar que a adaptação desta obra para televisão pela Netflix está, igualmente, soberba. bertrand.jpg

A Very Penny Dreadful List - a minha lista de romances góticos

08.08.19

abandoned-places-pianos-photography-romain-thiery-

Inspirada pela minha doce Catherine Morland (heroína d' A Abadia de Northanger) e pelo universo da excepcional série televisiva Penny Dreadful, decidi compilar uma lista com títulos de um específico "género" literário muito em voga na Inglaterra do século XVIII, o romance gótico. Este tipo de literatura caracteriza-se pelos cenários medievais, conspirações e segredos, mistério e terror, donzelas em perigo e vilões temerosos e pelo imaginário sobrenatural. 

 

  1. The Castle of Otranto, Horace Walpole (1764)
  2. The Old English Baron, Clara Reeve (1777)
  3. The Ghost-Seer, Friedrich Schiller (1789)
  4. A Sicilian Romance, Ann Radcliffe (1790)
  5. Justine, or The Misfortunes of Virtue, Marquis de Sade (1791)
  6. Castle of Wolfenbach, Eliza Parsons (1793)
  7. The Mysteries of Udolpho, Ann Radcliffe (1794)*
  8. The Necromancer or The Tale of the Black Forest, Ludwig Flammenberg (1794)
  9. The Monk, Matthew Gregory Lewis (1796)
  10. The Horrid Mysteries, Carl Friedrich August Grosse (1796)
  11. The Italian, Ann Radcliffe (1797)
  12. Clermont, Regina Maria Roche (1798)
  13. The Midnight Bell, Francis Lathom (1798)
  14. The Orphan of the Rhine, Eleanor Sleath (1798)
  15. St. Irvine or The Rosicrucian, Percy Shelley (1811)
  16. The Heroine, Eaton Stannard Barrett (1813) 
  17. Northanger Abbey, Jane Austen (1818)*
  18. Frankenstein, Mary Shelley (1820)
  19. Melmoth, the Wanderer, Charles Maturin (1820)
  20. The Mummy!, Jane C. Loudon (1827)
  21. The Amber Witch, Wilhelm Meinhold (1838)
  22. The Fall of the House of Usher, Edgar Allan Poe (1839) 
  23. The Mysteries of London, George Reynolds (1845) 
  24. Varney the Vampire or The Feast of Blood, James Rymer and Thomas Prest (1847) 
  25. Wuthering Heights, Emily Brontë  (1847)
  26. The Mystery of Edwin Drood, Charles Dickens (1870) 
  27. Carmilla, Sheridan Le Fanu (1872)
  28. Strange Case of Dr. Jekyll and Mr Hyde, Robert Lewis Stevenson (1886)
  29. The Picture of Dorian Gray, Oscar Wilde (1891)*
  30. Dracula, Bram Stoker (1897)
  31. The Turn of the Screw, Henry James (1898)*
  32. The Phantom of the Opera, Gaston Leroux (1910)

* Já lidos