Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Queirosiana

Blogue sobre livros, leituras, escritores e opiniões

Shirley, Charlotte Brontë (1849)

Ficção - Romance - Clássicos

01.03.20 | L.F. Madeira | comentar
Shirley foi publicado em 1849, após o sucesso de Jane Eyre. Muitas vezes menosprezado, Shirley apresenta características inovadoras na escrita narrativa, nomeadamente, a utilização do narrador na terceira pessoa ou a existência de duas personagens principais. Inovador (...)

Em Parte Incerta, Gillian Flynn (2012)

Ficção - Mistério/Thriller

15.02.20 | L.F. Madeira | comentar
Perverso. Doentio. Gillian Flynn sabe como viciar o leitor e a leitora. Este é um livro sobre um casal, sobre o desaparecimento de Amy e sobre o seu reaparecimento. Mas talvez seja mais do que isso, um jogo psicológico, um teste aos limites da mente humana. Embora o (...)

Mulherzinhas, Louisa May Alcott (1868)

Ficção - Clássicos - Jovem/Adulto

09.02.20 | L.F. Madeira | comentar
Por influência do desafio de uma amiga para ir ao cinema assistir ao - esplêndido - filme Mulherzinhas, resolvi reler a obra de Louisa Alcott que me acompanhou desde cedo na infância e à qual regressei poucas vezes. Que feliz resolução! Reler Mulherzinhas trouxe-me (...)

História do Novo Nome, Elena Ferrante (2012)

Ficção - Romance

06.02.20 | L.F. Madeira | comentar
O universo de Elena Ferrante é deslumbrante. Deslumbrante pela franqueza de sentimentos, pela inclemência da realidade da vida, das complexas relações pessoais, da existência interior. Que saborosa descoberta me trouxe 2020 com A Amiga Genial e agora com o segundo volume, História do Novo Nome

Carmilla, Sheridan Le Fanu (1872)

Ficção - Horror/Gótico - LGBT

03.02.20 | L.F. Madeira | comentar
Uma leitura curiosa e estranhamente moderna. Digo estranhamente porque, embora sendo uma escrita e um enredo singelos, em quase nada denotei o fator temporal desta obra - o de ter sido escrita na segunda metade do século XIX.  Carmilla é um clássico gótico, a (...)

O Coração das Trevas, Joseph Conrad (1902)

Ficção - Clássicos - África

03.02.20 | L.F. Madeira | comentar
Não sei como me justificar, mas não consegui digerir este clássico dos inícios do século XX. Efetivamente a leitura foi intragável, passava as páginas e não conseguia nunca envolver-me. Sob pena de soar misândrica, a verdade é que senti estar a ler um livro (...)

Frankenstein, Mary Wollstonecraft Shelley (1818)

Ficção - Horror/Gótico - Clássicos

26.01.20 | L.F. Madeira | comentar
Já conhecia os personagens deste épico da literatura, mas foi após ver a série Penny Dreadful que tomei a resolução de ler esta narrativa quase poética sobre a existência humana escrita pela pioneira Mary Shelley. Este livro tem uma beleza intrínseca e uma (...)

A Morte de Ivan Ilitch, Lev Tolstoi (1886)

Ficção - Clássicos

26.01.20 | L.F. Madeira | comentar
Um pequeno livro com uma história monumentalmente elaborada. Lido num trago, numa tarde de domingo. Foi simultaneamente uma fonte de iluminação e um murro no estômago.  Tolstoi apresentou esta magnífica obra literária em 1886, nesta breve novela conhecemos Ivan (...)

Aurora Boreal, Asa Larsson (2003)

Ficção - Mistério/Thriller - Policial

16.01.20 | L.F. Madeira | comentar
A atmosfera nórdica é, por si só, cativante - pois na qualidade de admiradora da sociedade escandinava, basta a referência a Estocolmo, neve e aurora boreal para agarrar a minha atenção.  O leitor é testemunha de um crime, logo nas primeiras páginas - o que (...)

A Amiga Genial, Elena Ferrante (2011)

Ficção - Romance

11.01.20 | L.F. Madeira | comentar
Elena Ferrante presenteou-nos em 2011 com a primeira de quatro obras da série A Amiga Genial. Ignorante de todo o rebuliço causado por Elena Ferrante, o seu pseudónimo e a sua misteriosa identidade, algures em meados de 2018 decidi comprar este título na sequência de (...)

O Calafrio, Henry James (1898)

Ficção - Horror/Gótico - Clássicos

31.10.19 | L.F. Madeira | comentar
Diretamente da plataforma Winkingbooks que me proporcionou a possibilidade de ler esta obra que há tanto tempo desejava.  Coincidência ou destino, terminei esta obra em plena noite do dia das Bruxas - nada mais apropriado! Mas a verdade é que fiquei de tal forma presa (...)