Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Queirosiana

Blogue sobre livros, leituras, escritores e opiniões

David Copperfield, Charles Dickens

28.03.12

Publicado em 1850, esta foi a minha primeira grande obra de Charles Dickens. Até então apenas tinha lido Contos de Natal. 

Achei o livro de uma enorme genialidade. Aprofunda o carácter humano em todos os níveis. A multiplicidade de personagens, a diversidade de histórias, a mudança constante de cenário, fazendo com que a história nunca, mas nunca perca o interesse, tudo isso é brilhante!

Acompanhamos David Copperfield deste o dia do seu nascimento até à fase adulta de realização pessoal. Acima de tudo, esta obra é uma biografia de Copperfield, alguns peritos insinuam inclusive, tratar-se igualmente de uma espécie de autobiografia ficcionada de Charles Dickens, pois é possível encontrar várias similitudes com a sua própria vida. 

David nasce órfão de pai, mas vive feliz na sua Rookery com a mãe e com Peggoty a sua criada que mostrará ao longo do livro o profundo amor, dedicação e carinho que tem pelo seu pequeno David. Às mãos do padrasto e da irmã do padrasto sofre terríveis provações, tanto, que pouco tempo depois de ficar também órfão de mãe, foge à procura da uma tia, Miss Betsy. Esta última personagem proporciona-nos momentos hilariantes, de rir até mais não, aliás, Dickens tem uma escrita com muito sentido de humor, do qual se parece servir para criticar os defeitos da sociedade. 

Depois, a história segue vários rumos, muito interessantes e que obrigam a uma certa análise do carácter humano. Mr. Heep, uma criatura vil e repugnante, que nos é apresentada inicialmente de forma dúbia e que depois se revela um verdadeiro traste! 

Nesta história podemos encontrar desde os pequenos dramas que todos vivemos em criança - que Dickens analisa de forma magistral -, a necessidade precoce de enfrentar o mundo, as mais diversas provações sentimentais até financeiras - agora estou a lembrar-me de Mr. Micawber e sua família, que juntamente com Betsy Trotwood são o auge da diversão! Temos depois a descoberta do mundo pelo jovem Copperfield, a profunda admiração que tem por Steerforth e todas as consequências que daí advém, um casamento apaixonado mas incompleto, uma fuga que trará consequências devastadoras para Mr. Peggoty que perde a sua adorada Emily e que não cessa nunca de a procurar, uma paixão que sempre lá esteve mas que só é descoberta no final, graves problemas económicos em virtude das fraudes de Mr. Heep que levam David Copperfield a entregar-se a todo o esforço do trabalho para vingar na vida. 

É um grande herói, David Copperfield, uma personagem que jamais esquecerei. Nesta obra vamos aos mais recônditos sítios do ser humano, a todas as suas fraquezas e às suas melhores qualidades, uma verdadeira lição de vida, sempre com atenção à dignidade humana e às injustiças sociais que se viviam então, mas que se mantêm hoje apenas com uma outra máscara.

bertrand.jpg