Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Queirosiana

Blogue sobre livros, leituras, escritores e opiniões

Harry Potter e os Talismãs da Morte, J.K. Rowling

16.11.07

Harry-Potter-e-os-Talismãs-da-Morte.jpg

Aqui está ele, por fim. Uma longa viagem de (no meu caso) sete anos, que chega agora ao fim.

Ainda me lembro de quando o comecei a ler, tinha nove anos, andava no meu 4º ano e foi a minha professora da primária que me incentivou a lê-lo.

Admito, demorei um ano a ler o primeiro, mas tinha só nove anos e a minha aventura literária estava ainda no início, desculpa-se tão larga demora!

Não tive de esperar pelo segundo, pois já tinha saído. Esse era o meu pai que mo lia, pelo menos os primeiros capítulos assim foi, numa espécie de partilha de algo mais mágico que o próprio livro e o mesmo aconteceu com o terceiro (onde conheci a minha personagem preferida - Sirius).

A dolorosa e penosa espera (impaciente, por vezes) começou com o quarto livro. Foi a partir do mesmo que eu me comecei a tornar numa fã obcecada, dando início a um "estudo intensivo" com a minha amiga Amélia, onde tirávamos frases e passagens do livro que tinham algo de contraditório, ou algo que achássemos estar realcionado com qualquer coisa importante. Enfim, foi uma altura engraçada!

O quinto livro, foi doloroso. A minha personagem preferida morrera, fiz um luto, nas devidas proporções, é claro, e dei ao meu diário o nome de Sirius.

O sexto livro... não sei, tive sempre a sensação de que havia muitas lacunas que, espero sinceramente, que este último venha a preencher.

A sensação hoje, é uma espécie de vazio que julgo que se acentuará mais assim que terminar o último livro.

Todas as acusações feitas ao livro, à escritora, à história, são apenas a mostra de quem nunca leu o livro com outros olhos, senão aqueles que lhes impedem a visão. Aqueles olhos que não conseguem ver para lá da magia que enche toda a história.

História essa que, para além de toda a magia que a arrebata, tem escondida, atrás de toda essa imagem fantasiada, uma moral mais real e concreta do que aquilo que algum dia poderemos imaginar!

Obrigada J. K. Rowling!

bertrand.jpg