Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Queirosiana

Blogue sobre livros, leituras, escritores e opiniões

Trópico de Capricórnio (1939), Henry Miller

Ficção - Clássicos

15.08.21 | L.F. Madeira | comentar
Ora aqui está o livro responsável por alguma decepção literária, estritamente pessoal. Acho que ruminei este livro durante meses e tornou-se verdadeiramente intragável. Claramente um autor a que não pretendo voltar. Embora o estilo de escrita inicialmente me tenha (...)

Night and Day (1919), Virginia Woolf

Ficção - Romance - Clássicos

13.08.21 | L.F. Madeira | comentar
Ora aqui está um romance de Virginia Woolf que ficou aquém, pelo menos para mim. Não em termos de escrita, Woolf é uma verdadeira mestre das palavras e sensações, mas em termos de enredo, terminei o livro com uma sensação agridoce e de incompletude. Night and Day (...)

As Mulherzinhas (1868), Louisa May Alcott

Ficção - Clássicos

11.10.20 | Margarida M. | ver comentários (1)
Hoje escrevo sobre mais um clássico que não pode faltar nas listas de leitura. “As Mulherzinhas”. Um conto que, retratando a vida da família “March”durante o período de guerra civil americana (1861-5), toma o seu foco em algo mais, algo que, no contexto temporal (...)

A Utopia (1516), Thomas More

Ficção - Filosofia - Utopia/Distopia - Clássicos

07.09.20 | L.F. Madeira | comentar
Um clássico dos antigos que estava na estante desde 2016. Thomas More tem sido companheiro nos livros de História e de Direito quer pela sua qualidade de estadista, filósofo e humanista do Renascimento; mas também por ser o criador de uma das palavras mais belas, "utopia". (...)

O Nome da Rosa (1980), Umberto Eco

Ficção Histórica - Mistério/Thriller - Clássicos

06.09.20 | L.F. Madeira | ver comentários (14)
Ora quem diria que um grupo de monges, frades e inquisidores do século XIV me tiraria o sono de forma tão aditiva. Trata-se de um livro fascinante que talvez não possa ser resumido como farei de seguida, por encerrar significados mais abrangentes e indefinidos. Mas uma (...)

The Origins of Totalitarianism (1951), Hannah Arendt

Não-ficção - História - Política - Filosofia - Clássicos

03.09.20 | L.F. Madeira | comentar
Ora aqui está uma leitura poderosa e extremamente estimulante. Numa altura de turbulência social e política por todo o mundo, com o (re)surgimento de vagas populistas e demagogias assustadoramente similares a um passado recente, este clássico de não-ficção do (...)